quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Mortos devido ao tufão Filipinas sobe para mais de 1.000


Número de mortos devido ao tufão "Bopha" nas 

Filipinas sobe para mais de 1.000




As autoridades das Filipinas elevaram hoje para mais de 1.000 o número de vítimas mortais devido à passagem do tufão "Bopha"  há 12 dias e numa altura em que prosseguem as buscas por centenas de desaparecidos.
O Conselho Nacional para a Redução e Gestão de Desastres colocou o número  provisório de mortos em 1.020 e elevou para 844 o número de desaparecidos.
O tufão, que tocou terra na ilha de Mindanao, no sul, na terça-feira  da semana passada, causou fortes danos em várias zonas das Filipinas. 
Mais de 2.600 pessoas ficaram feridas e 27.813 encontram-se alojadas  nos cerca de 60 centros de abrigo, na sequência da passagem do tufão "Bopha"  que afetou mais de 6,2 milhões de pessoas. 
Cerca de 30 províncias e cidades ainda sofrem com cortes do serviço  de energia elétrica, sendo que seis carecem de abastecimento de água potável,  indicou o organismo, citado pela agência Efe. 
As autoridades estimaram os danos materiais causados na agricultura,  infraestruturas e propriedades privadas em 24.160 milhões de pesos filipinos  (446 milhões de euros).  
"Pablo", o nome local do "Bopha", demonstrou ser o pior tufão deste  ano nas Filipinas, encerrando uma temporada que, regra geral, se inicia  em junho e termina em novembro. 
Lusa

Fonte créditos: http://sicnoticias.sapo.pt

Será que estamos rumo a mini Era do Gelo?

Será que estamos rumo a uma mini Era do Gelo, devida a uma onda de frio que parece não ter fim?



Pelo menos seis pessoas morreram na Rússia e 37 na Ucrânia, devido à onda de frio que atinge o Leste da Europa, anunciou hoje o Ministério da Saúde russo.
Os hospitais assistiram 230 pessoas com ferimentos causados pelo frio,  acrescentou. 
Na Ucrânia, o número de mortos é de 37 e 190 pessoas receberam assistência  hospitalar, de acordo com fontes oficiais ucranianas. 
Estes números estão a preocupar as autoridades dos dois países, porque  o inverno está no início e as temperaturas baixas prometem bater recordes  dos últimos 50 anos. 
Em Moscovo, os serviços meteorológicos russos preveem temperaturas baixas  até ao fim de semana. Nos próximos dias, a média das temperaturas durante  o dia será entre os 16 e os 18 graus negativos e, à noite, o mercúrio nos  termómetros descerá até aos 25 graus negativos. 
O frio é ainda mais rigoroso nos Urais e na Sibéria, obrigando à suspensão  dos transportes e ao encerramento de escolas. Em Tomsk, as temperaturas  rondam os 35-38 graus negativos. Nas regiões de Novossibirk, o mercúrio  caiu até aos menos 50. 
As baixas temperaturas estão também a provocar avarias nos sistemas  de aquecimento. Na cidade de Ribinsk, cerca de 12 mil pessoas ficaram sem  água quente e aquecimento devido à rutura de condutas. 
A maioria das vítimas mortais do frio na Rússia e na Ucrânia vive na  rua.  
Para apoiar essa parte completamente desprotegida da população, o Ministério  para Situações de Emergência russo decidiu abrir 1.500 "pontos de aquecimento",  nos quais se pode receber chá quente, açúcar, toucinho e sanduíches.

Fonte créditos: sicnoticias.sapo.pt e G1

Intenso Frio Mata na Rússia, Ucrânia e Sibéria

Dezenas de mortos na onda de frio na Rússia e 

Ucrânia, -50º na Sibéria

image fonte: www.syfybrasil.com

Dezenas de mortos na onda de frio na Rússia e Ucrânia, 50º na Sibéria . Uma onda de frio provocou a morte de dezenas de pessoas na Ucrânia e Rússia, onde as temperaturas na Sibéria se aproximam dos 50 graus centígrados abaixo de zero, segundo fontes oficiais e a imprensa.

Fonte créditos: www.noticiashoje.net

3 tremores seguidos no mesmo dia no Brasil

Tremor em Montes Claros: Cientistas não sabem a causa dos abalos

O telhado de uma casa caiu por causa dos
abalos (Foto: Michelly Oda/G1)


Três tremores de baixa intensidade foram registrados na madrugada desta quarta-feira na região de Montes Claros, MG. O abalo principal foi seguido de mais dois eventos menores e pelos relatos de testemunhas pode ter sido um dos maiores terremotos que já atingiram a região.


Clique para ampliar


Segundo informações oficiais divulgadas pela Polícia Militar, o primeiro tremor ocorreu por volta das 02h50 BRST e foi seguido por dois abalos menores ocorridos em intervalos aproximados de 20 a 30 minutos entre eles. A Polícia Militar informou que recebeu 350 chamadas e o Corpo de Bombeiros de Montes registrou 200 ligações.

Ainda não há informações mais detalhadas sobre a magnitude e profundidade em que o tremor ocorreu, mas pela descrição fornecida pelos moradores a magnitude deverá ser estimada em cerca de 4.5 graus. Se a magnitude fosse igual ou superior a 5 teria sido informada pelo USGS, nos EUA. Até agora, o maior tremor registrado em Montes Claros ocorreu em 19 de maio e foi estimado em 4 magnitudes.

A ocorrência mais grave ocorreu no bairro Jardim Brasil, onde foi registrada a queda de uma varanda e destelhamento de uma casa. "Acordamos com o tremor e logo as telhas caíram, saímos todos assustados, correndo para o lado de fora, apesar de já ter sentido outros tremores, este foi o que mais deu medo", diz o proprietário da casa, Paulo Pereira, em entrevista ao site G1.

Causas dos tremores
Apesar da cidade de Montes Claros apresentar diversos tremores todos os anos, ainda não se sabe exatamente o que dispara esses eventos naquela localidade. Os sismologistas brasileiros contam com poucos recursos de monitoramento e as nove estações sismográficas existentes na região serão retiradas em breve, pois estão instaladas em caráter temporário.

Entre maio e outubro foram registrados 174 sismos, sendo que 27 deles foram provocados por detonações e 33 tiveram causas naturais. Desse total, 114 não foram localizados com precisão.

De acordo com um estudo apresentado dois dias antes do abalo por pesquisadores da Universidade de São Paulo e da Universidade de Brasília, a cidade de Montes Claros não apresenta falhas geológicas de grande extensão e maioria delas é composta por falhas antigas e inativas. Isso mostra que terremotos de grande magnitude são bastante improváveis de acontecerem, mas essa hipótese não pode ser descartada.

Os pesquisadores também levantaram a possibilidade dos tremores em Montes Claros estarem relacionados a uma fratura existente na região da Serra do Mel, mas a falta de dados precisos de localização dos epicentros não permite afirmar com certeza essa ligação.

Fonte credito: Apollo 11 e G1

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Egípcios Ciência

Ciência e Tecnologia



Esta civilização desenvolveu o primeiro sistema de escrita (hieróglifos) que foi documentado em papiros. Os alfabetos posteriores, começando pelo fenício, derivaram dos hieróglifos egípcios. Após o domínio de Alexandre, o Grande, muitos documentos artísticos, administrativos e científicos foram os primeiros a integrar a biblioteca de Alexandria, porém desapareceram depois da destruição da cidade em 391 A.C.

Tecnologia Hidráulica

Existem evidências que comprovam a construção de canais artificiais desviando a corrente do rio Nilo, em 1800 A.C. Uma das mais ambiciosas construções é o Canal dos faraós, que une o mar Mediterrâneo ao mar Vermelho. Os canais possibilitavam a navegação entre as cidades do Império, fator indispensável tanto para a comunicação administrativa como para o comércio. Dos principais canais, saiam outros menores, formando um complexo sistema de irrigação que mantinha a agricultura estável mesmo em épocas de seca. Os egípcios conseguiam aproveitar desta forma as enchentes do Nilo e fertilizar terrenos bastante longínquos das margens do rio, exemplo do canal de José, que alimentava o lago natural de El Fayum, transformando a região em um oásis fértil. Foram encontrados documentos do período helenístico que indicam o uso da roda e da roda hidráulica durante o século IV A.C.

Matemática e Medicina

A numeração egípcia durante o período pré-dinástico era de caráter decimal com representação hieroglífica, ou seja, um símbolo para cada unidade decimal. A partir de 2150 A.C. esta representação foi substituída pela hierática. A aritmética e a geometria egípcias foram motivadas por sua aplicação prática, desenvolvendo-se em função de uma aplicação concreta. Estas foram as disciplinas de maior crescimento ao longo da existência do Império. Um dos documentos da época era o Papiro de Ahmed, um tratado que reproduzia um documento anterior (XIX A.C), onde havia oitenta e sete problemas matemáticos diferentes.  Com relação à Medicina existem diversos documentos, como o Papiro de Ebers (XVI A.C). Como a Medicina da época era inseparável da religião, as doenças eram vistas como manifestações sobrenaturais, mesmo assim, os egípcios realizaram grandes avanços científicos, especialmente em técnicas de mumificação.

Fonte creditos: The History Channel

A civilização egípcia

A Civilização Egípcia



A civilização egípcia foi a cultura desenvolvida no atual Egito entre os anos 3050 A.C (primeiro ano do governo de Menés) a 3100 A.C (ano da conquista romana). A história do antigo Egito costuma ser dividida em três etapas relacionadas às diferentes dinastias faraônicas, separadas por períodos de anarquia: Império Antigo (2700- 2250 A.C), Império Médio (2050- 1800 A.C) e Império Novo (1550- 1070 A. C). Milhares de anos antes da configuração do Império, a partir do ano 8.000 A.C, o território conhecido atualmente como Saara começou a secar, razão pela qual os coletores da região se aproximaram da bacia do Nilo.  Durante esta época, devido à topografia da região, diferentes povos se estabeleceram permanentemente no território.

Período Pré-Dinástico   

Dentre os povos que fizeram daquele terreno seu assentamento entre 5500 e 3200 A.C encontravam-se os társios que se dedicavam à caça e a pesca, as culturas primitivas de El Fayum e a Merimede, todas dedicadas ao cultivo. Os társios se estabeleceram na margem direita do rio, ao lado dos badarienses, que produziam figuras de cobre e trabalhos de cerâmica. Pouco a pouco chegariam os assírios, hicsos, núbios e uma quantidade grande de habitantes originários da Ásia. A propagação territorial da região terminou produzindo uma unificação cultural das diferentes populações, agora então egípcias, porém a política ainda era dividida em dois reinos principais: O Alto Egito (vale do Nilo) e o baixo Egito (delta do Nilo). Cada reino contava com seu próprio faraó, representados respectivamente por um abutre e uma cobra. 

Período Arcaico

Durante este período (3100-2700 a.C) a unificação da civilização egípcia foi concretizada, gerando um único governo, o das terras do Alto e Baixo Egito. Narmer, o último rei do período pré-dinástico, de acordo com muitos historiadores, foi o responsável por promover esta união e por isto é considerado o primeiro faraó do Egito unificado. Apesar do historiador Manethon ter considerado Menés como o primeiro monarca egípcio, ilustrações como na Paleta de Narmer(placa comemorativa do ano 3050 a.C) indicam que o título pertencia a Narmer. A fundação da cidade de Mênfis, no Baixo Egito, foi a prova definitiva do poderio de Narmer. Ele se tornou rei da Dinastia I, a partir de 3050, período que marca o inicio do Antigo Império.

Fonte créditos: The History Channel

Lugares Sagrados Astecas

Lugares Sagrados Astecas


Os monumentais templos,pirâmides e palácios do povo asteca, refletiram o conjunto de valores e preceitos religiosos que deram origem a sua civilização. Seu conceito arquitetônico era voltado à manifestação do poder que os protegia como herdeiros do deus HuitzilopochtliCada lugar, inclusive as residências dos cidadãos comuns, eram construídas com solenidade e rituais de culto, portanto cada local era sagrado na vida do povo asteca da grande Tenochtitlán e o conjunto de suas cidades imperiais. A medida que avançavam sobre um novo território, sistematicamente, começavam pela construção de um  templo de adoração para seu deus principal e a seguir, nas imediações, um campo de futebol, onde praticavam o jogo ritual mais difundido entre as culturas da Mesoamérica.

O Templo Maior

Em Tenochtitlán estava localizado o Templo Mayor, principal templo dos astecas. Ali, através de inúmeras esculturas, narrava-se a história de Huitzilopochtli. Neste local sagrado, os astecas adoravam seu deus e sacrificavam humanos para aplacar sua sede. Este edifício era amuralhado por uma parede em forma de serpente e abrigava outros templos principais e casas da elite política e religiosa. Tudo era organizado com base numa estrita ordem de simetria, com desenhos geométricos e várias linhas apontadas para os pontos cardiais. A praça central deste templo tinha capacidade para 8.000 pessoas e o mercado central, em torno de 20.000.

As Pirâmides

Existiam diferentes tipos de construções piramidais. Entre as mais profusas encontramos as pirâmides redondas, situadas, principalmente, ao longo do Vale de Toluca. Foram construídas em honra ao deus do vento, Ehécatl, e sua estrutura circular permitia, precisamene, uma corrente de ar, de forma que o deus pudesse circular em seu interior sem obstáculos. As pirâmides de escadas  gêmeas, abrigavam em seu topo, dois templos: o templo situado ao lado esquerdo era dedicado a Tláloc, divindade responsável pelas chuvas; o da direita honrava Huitzlopochtli. O primeiro era pintado de azul e branco, símbolo da água; o segundo, de vermelho e branco, símbolo do sacrifício e das guerras. 

Fonte crétitos: The History Channel

A Civilização Asteca, suas Ciências etc

A Civilização Asteca






A civilizaçâo Asteca foi formada por um conjunto de etnias indígenas que possuia um idioma comum, o náhualt. Habitavam as regiões deTenochitlán e Tlatelolco, na Mesoamérica, nos entre os séculos XII e XVI. Esta civilização, foi, juntamente com a maia e a inca, uma das grandes civilizações da era pré-colombiana. Apesar de não se auto-denominarem astecas, o nome foi dado pois, acredita-se que a maioria das tribos era oriunda de Aztlán. 
Expansão Demográfica
Depois do colapso da mítica cidade de Tollan, no princípio do século XII, ocorreu uma imensa migração de índios toltecas e chichimecasem direção a região de Cholula, zona oeste do atual estado de Puebla, no México.  Os migrantes estabeleceram alianças com os habitantes nativos e conseguiram vencer os olmecas numa disputa, finalmente ocupando a zona do Planalto Central. A última grande migração foi de uma outra tribo, ocorrida durante os séculos XIII e XVI e neste intervalo de tempo, o povo que agora chamamos astecas, já havia ocupado quase todo o território. 

O Império Asteca
Depois de percorrer imensos territórios, no século XIV, a civilização asteca estabeleceu-se definitivamente no atual Valle do México. Fundaram a capital, Tenochtitlán, numa pequena ilha, nos arredores do lago Texcoco. Durante os primeiros anos, tiveram que lutar com inúmeras tribos locais pela posse das melhores  porções de terra para obtenção do domínio político da região. A medida em que ganharam terreno, foram estabelecendo um poderoso sistema baseado na obediência, trabalho e pagamento de impostos. O alicerce daexpansão asteca foi seu poderoso exército. Entretanto, após reconhecer a soberania do imperador asteca, os povos conquistados, mantinham uma representação própria. 

Ciência e Tecnologia


A cultura asteca deve a sua força, entre outros aspectos importantes, ao avançado grau de desenvolvimento técnico e científico. A educação de seu povo neste campo foi fundamental, alcançando níveis de abstração maiores do que qualquer outra cultura, principalmente nos ramos damatemática e da astronomia. A medicina mexicana transcendeu sua própria época e está presente na base de diversas bebidas e cosméticos da modernidade. A engenharia terrestre e naval, as técnicas agrícolas e o desenvolvimento de uma escrita própria foram outros aspectos fundamentais da civilização asteca.

Astronomia e Medicina

As tribos primitivas da América Central conheceram o conceito do número zero, o que colaborou para a base de cálculos abstratos nas civilizações maias e astecas. Por volta de 1479, desenvolveram apedra do Sol, uma peça legítima de medidas monumentais, esculpida com os símbolos correspondentes aos dias e meses do calendário mexicano. No terreno da medicina, o povo asteca soube ocultar suas habilidades frente às ciências medicinais europeias, durante a época colonial. Os tratamentos das doenças foram baseados em dois aspectos: por um lado, se ocuparam da saúde espiritual, cujo desequilíbrio abria as portas à deterioração física; por outro lado, recorreram a medicamentos herbários para ajudar na cura sintomática.

Armamento e Transporte

Sem acesso a metais, como o bronze e o ferro, os astecas tiveram que aguçar a sua inteligência para o desenvolvimento de armas e ferramentas cortantes. Usaram, principalmente, as obsidianas, uma espécie de lava das rochas vulcânicas, e o sílex, um mineral rígido usado na fabricação de lanças, facas e flechas. A tecnologia asteca conheceu a roda, mas, sem cavalos, mulas, nem animais de carga, dispensou qualquer veículo terrestre. No lugar disso, fabricaram canoas para deslocarem-se ao longo dos canais e lagos.

Fonte créditos: The History Channel






CIENTISTAS IDENTIFICAM "ILHA-FANTASMA"

CIENTISTAS IDENTIFICAM "ILHA-FANTASMA" NO SUL DO PACÍFICO


Uma descoberta um tanto quanto inusitada foi realizada por uma equipe de cientistas da Austrália. Eles identificaram uma “ilha-fantasma”, nome dado a uma ilha que aparece na cartografia histórica por um período de tempo, mas que finalmente é removida assim que sua inexistência é confirmada. O mais recente caso aconteceu com a Sandy Island, listada por cartógrafos em atlas, mapas, Google Maps e Google Earth, que estaria localizada entre a Austrália e a Nova Caledônia (território francês), no sul do Pacífico.

A prova de que a ilha não existe aconteceu depois que o grupo de cientistas decidiu navegar até ela e simplesmente não a encontrou. De acordo com um dos cientistas envolvidos, a ilha aparece como Sable Island no Times Atlas of the World. O Southern Surveyor, um navio de pesquisa marítima australiano, também afirma que ela existe. Mas, quando decidiu conferir a existência da ilha, a embarcação também não avistou nada.

A ilha-fantasma aparece regularmente em publicações científicas desde 2000. A ilha, contudo, não aparece em documentos do governo francês, que teria a jurisdição sobre ela, nem nas cartas de navegação, elaboradas a partir de medições de profundidade.

Artigo relacionado

Sydney Morning Herald
Fonte creditos: The History Channel

ROBÔ FLAGRA TEMPESTADE DE POEIRA EM MARTE

ROBÔ OPPORTUNITY FLAGRA ENORME TEMPESTADE DE POEIRA EM MARTE


O robô Opportunity, da Nasa, flagrou uma enorme tempestade de areia na superfície de Marte, evento que chegou a causar  mudanças atmosféricas no planeta. Esta é a segunda ocasião, desde 1970, que a Nasa estuda o fenômeno da órbita e também de uma estação meteorológica na superfície marciana. Outras grandes tempestades já foram registradas no planeta em 2001 e 2007.

As primeiras evidências de que uma tempestade estava por vir aconteceram no dia 16 de novembro, quando a sonda Mars Reconnaissance detectou um aquecimento da atmosfera a aproximadamente 25 quilômetros acima da tormenta. Desde então, a temperatura da atmosfera da região aumentou em 25 graus Celsius. O fenômeno se deve à poeira, que se eleva acima da superfície e absorve a luz do sol nas alturas, segundo a Nasa.

Caso a tempestade continue crescendo, o Opportunity poderá ser afetado, pois sua energia é proveniente do Sol. No momento, o robô está a mais de 1.300 quilômetros da tempestade. Já o  outro veículo da Nasa em Marte, o Curiosity, usa um gerador nuclear.

A estação meteorológica do Curiosity identificou mudanças atmosféricas relacionadas à tormenta. Os sensores observaram uma queda na pressão e uma discreta elevação nas temperaturas noturnas mais baixas.

Artigo relacionado

Nasa
Fonte creditos: The History Channel

PESQUISADORES ALERTAM RISCO DE HUMANIDADE SEJA DOMINADA POR MÁQUINAS

PESQUISADORES DE CAMBRIDGE ALERTAM PARA RISCO DE QUE HUMANIDADE SEJA DOMINADA POR MÁQUINAS


Pesquisadores de Cambridge querem avaliar se a tecnologia poderá realmente algum dia determinar a destruição daHumanidade. O Centro de Estudo para Riscos da Existência (da sigla em inglês CSER), que deverá ser lançando no ano que vem, vai estudar os possíveis perigos da biotecnologia, vida artificial, nanotecnologia, mudanças climáticas e outras supostas “ameaças” aos humanos. Os cientistas acreditam que dar pouca importância a um hipotético levante de robôs poderá ser “perigoso”.

O medo de que máquinas tomem o controle tem sido o centro das tramas de alguns dos mais populares filmes de ficção científica. Talvez o mais famoso exemplo seja o traiçoeiro sistema de computadores Skynet da série de filmes “O Exterminador do Futuro”. De acordo com o roteiro, os sistema ganhou autoconsciência e se voltou contra os humanos após ser desenvolvido pelos militares norte-americanos. Mas, apesar de isto ser tema de um exagero da fantasia, os pesquisadores alegam que o conceito de máquinas mais inteligentes do que o homem exige mais atenção.

"A seriedade destes riscos são difíceis de avaliar, mas esta preocupação por si mesma já causa apreensão, tendo-se em conta o que já está em jogo”, anunciaram os cientistas por meio do site do centro de pesquisa.

O projeto do CSER será fundado pelo professor de filosofia de Cambridge, Huw Price, pelo  cosmólogo e astrofísico, Martin Rees, e por um dos fundadores do Skype, Jaan Tallinn.

De acordo com os envolvidos no projeto, assim que os computadores se tornam mais espertos do que os humanos, as pessoas poderiam se encontrar à mercê de máquinas não exatamente mal intencionadas, mas diante dáquelas que não estariam incluindo os humanos entre os seus interesses.

Artigo relacionado

Cambridge

Fonte creditos: The History Channel

DESCOBERTO DINOSSAURO MAIS ANTIGO DA TERRA

DESCOBERTO DINOSSAURO MAIS ANTIGO DA TERRA QUE TERIA VIVIDO HÁ 245 MILHÕES DE ANOS


Pesquisadores encontraram o que pode ser o mais antigo dinossauro que já caminhou sobre a face da Terra. O misterioso fóssil, até então escondido por décadas nos corredores do Museu de História Natural de Londres, foi identificado como um dinossauro que viveu há aproximadamente 245 milhões de anos, ou seja, 10 a 15 milhões de anos antes do que o fóssil mais antigo já descoberto.

O animal, do tamanho aproximado de um cachorro labrador, foi batizado de Nyasasaurus parringtoni por conta do seu local de descoberta, o Lago Nyasa, no sul da África (hoje chamado Lago Malawi) e também por causa do pesquisador Rex Parrington, da Universidade de Cambridge, que recolheu o fóssil nas proximidades do lago na década de 30.

O fóssil foi analisado por pesquisadores nos anos 50, mas nenhum estudo conclusivo chegou a ser publicado. Desta maneira, os fragmentos encontrados seguiram um mistério para os pesquisadores até que, recentemente, algumas de suas características foram comparadas com as de uma amostra similar do Museu Iziko, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

De acordo com os pesquisadores, os fragmentos do Nyasasaurus indicam que seus ossos do braço e quadril possuem características únicas dos dinossauros. Com isso, foi se tornando cada vez mais real a possibilidade de que os cientistas estavam diante de um animal próximo à origem dos dinossauros. Os pesquisadores acreditam que este dinossauro ficava de pé, media de dois a três metros de comprimento da cabeça à cauda e pesava entre 20 e 60 quilos.

Quando vivo, este dinossauro teria habitado a área da Pangeia do sul, que compreendia a África, América do Sul, Antártida e Austrália. O estudo sobre este animal foi publicado na revista Biology Letters.

Artigo relacionado

Biology Letters
Fonte: The History Channel

EMPRESA QUER LEVAR PASSAGEIROS À LUA


EMPRESA QUER LEVAR PASSAGEIROS À LUA POR US$ 1,5 BILHÃO PARA DUAS PESSOAS


A primeira empresa privada que venderá voos para a Lua foi anunciada na última quinta-feira por diretores da Nasa, a agência espacial norte-americana. Trata-se da Golden Spike, primeira companhia que tem como objetivo oferecer viagens regulares de exploração sobre a superfície da Lua até o final da década. Um voo de ida e volta para dois passageiros "colocando o pé na Lua teria o custo de 1,5 bilhão de dólares".

A companhia aposta no uso naves espaciais do setor privado, que reduziriam o custo dos voos comerciais com destino à Lua, de acordo com o anúncio realizado na véspera do 40º aniversário da última missão lunar, a Apolo 17.

Artigo relacionado

Golden Spike
Fonte: The History Channel

ATIVIDADE VULCÂNICA teria extinto os dinossauros,diz estudo

ATIVIDADE VULCÂNICA, E NÃO UM METEORO, TERIA EXTINTO OS DINOSSAUROS, DIZ ESTUDO


A atividade vulcânica na região onde atualmente está a Índia, e não um asteroide, teria causado a morte dos dinossauros, de acordo com um novo estudo. Ao logo de dezenas de milhares de anos, a lava escorreu do planalto de Deccan, uma região vulcânica perto de onde atualmente está a cidade de Mumbai. Esta atividade teria expelido toneladas de níveis tóxicos de dióxido de carbono na atmosfera e provocado a extinção em massa por conta de um aquecimento global e acidificação dos oceanos, segundo uma pesquisa da Universidade de Princeton.

Os achados, apresentados na última semana em São Francisco, EUA, durante o encontro anual da União Americana de Geofísica, serviram como munição para o debate que discutiu se um asteroide ou um vulcão teriam provocado a morte dos dinossauros há 65 milhões de anos.

De acordo com a outra teoria, um asteroide gigante teria se chocado em Chicxulub, no México, há aproximadamente 65 milhões de anos, e liberado quantidades tóxicas de poeira e gás na atmosfera, o que teria bloqueado os raios do sol e causado um esfriamento da Terra, sufocando os dinossauros e causando envenenamento da vida marinha. O impacto do meteoro também poderia ter desencadeado atividades vulcânicas, terremotos e tsunamis.

Contudo, este novo estudo mostra que o planalto de Deccan – uma das maiores províncias vulcânicas do mundo - já existia antes da extinção dos dinossauros e pode ter contribuído total ou parcialmente para a sua morte em massa. Em 2009, companhias de petróleo estavam perfurando a região da costa indiana e eles encontraram sedimentos enterrados a 3,3 quilômetros de profundidade. Os pesquisadores encontraram fósseis que datam do período Cretáceo-Terciário, quando os dinossauros foram varridos da face da Terra.

Junto com os fósseis, foram encontrados algumas pequenas espécies de plâncton, que estavam em conchas, após as camadas de lava, o que poderia indicar que isso aconteceu anos após as erupções. Os fósseis, tanto de animais terrestres quando de vegetais, sugerem que os vulcões causaram extinção em massa tanto na terra quando no mar.

De acordo com os pesquisadores que defendem que o vulcão teria provocado a extinção dos dinossauros, um meteoro não seria capaz de produzir níveis tóxicos suficientes de enxofre e dióxido de carbono para aniquilar os animais de vez, mas isso poderia ter contribuído para a sua extinção.

Artigo relacionado

Live Science
Fonte: The History Channel

PASSAGEM DO ASTEROIDE GIGANTE TOUTATIS


VÍDEO FLAGRA PASSAGEM DO ASTEROIDE GIGANTE TOUTATIS
14 de dezembro de 2012



Nesta semana, o gigante asteroide 4179 Toutatis passou pela Terra e foi observado por alguns telescópios ao redor do mundo - assista ao vídeo no final do texto. Algumas imagens dele também foram divulgadas pela Nasa a partir do telescópio do Goldstone Observatory, na Califórnia. Nos próximos dias, a sonda chinesa Chang'e 2 também deverá fornecer mais imagens deste corpo celeste de cinco quilômetro de extensão que passa pela Terra a aproximadamente cada quatro anos.

Classificado como “perigoso”, este asteroide não deverá oferecer risco de impacto contra a Terra por pelo menos 600 anos, de acordo com a Nasa. Em sua recente passagem, o Toutatis esteve a uma distância da Terra que equivale a 18 vezes o caminho entre o nosso planeta e a Lua.

No curto vídeo abaixo, você pode conferir um pouco do Toutatis, um ponto branco e brilhante em meio às estrelas. As imagens são de um telescópio das Ilhas Canárias. O vídeo é da Câmera Espacial Slooh, que forneceu imagens ao vivo e gratuitas na internet da passagem do cometa pela Terra.

video


Fonte: The Histiry Channel

Extraterrestres: Suméria x Nibiru x Anunnaki

Extraterrestres: Suméria x Nibiru x Anunnaki

Esotérica:A polêmica sobre a aproximação de um planeta intruso em 2012



 Em meio aos sumérios e um enigmático 'deus' dos Anunnakis , a representação do nosso Sistema Solar

Quem nunca ouviu dizer, desde pequeno 'que o mundo acabou em água e agora vai acabar em fogo'? Nossos bisavôs ouviram isso e repassaram aos nossos avôs e pais, enquanto os tempos foram chegando. Desde remotas eras, a humanidade vem sendo bombardeada por uma série informações, de conjecturas, conceitos e tradição oral, na maioria das vezes, assustadora.

Até que ponto as pessoas acreditam ou querem acreditar que a raça humana está próxima de uma catástrofe universal? A internet anda cheia de informações e desinformações e, se não há bom senso de quem escreve, que haja do lado de quem lê!  Nesse artigo em forma de pesquisa, não procuramos afirmar nada, apenas refletir junto com os internautas 

(O autor)

O mistério sobre o Planeta X

É sabido que os cientistas apostam na existência de um 12º planeta em nosso sistema, que para os acadêmicos, foi denominado Planeta X. As religiões pregam um a Idade do ouro após gravíssimo cataclisma.
Não podemos avaliar o tamanho da histeria pública, se um dia, houvesse a certeza de que os governantes mundiais escondem da humanidade a proximidade de uma destruição total do planeta Terra.

E existem eminentes astrônomos que defendem essa possibilidade, referindo-se ao que pode ser a aproximação de um astro intruso, algo gigantesco que ronda o sistema solar. Um objeto de grandes proporções que nos espreita na obscuridade e estaria vindo em nossa direção,
Sua estrutura colossal, como supõem, pode ser a responsável por mudar a trajetória de cometas e asteróides, jogando-os em direção ao interior do sistema.  Para alguns especialistas, a tal massa seria a responsável por distúrbios nas órbitas dos planetas Uranos e Netunos.

Um temor mundial ?

Insiders da NASA deixaram vazar que o mundo científico estudam uma presença detectada há vários anos nos arredores do sistema solar, o que eles chamam de “A Massa”. Seria verdade?
Em janeiro do ano passado, a NASA colocou em órbita o telescópio WISE, cuja função é varrer o céu e colher imagens em infravermelho. Sua missão é descobrir estrelas anãs marrons.

"Um corpo celeste possivelmente tão grande quanto o planeta gigante Júpiter e, possivelmente, tão perto da Terra que seria parte deste sistema solar foi encontrado na direção da constelação de Orion por um telescópio em órbita a bordo do E.U. Infrared Astronomical Satellite ".
Esse foi o lide da matéria postada pelo influente jornal  Washington Post no dia  31 de dezembro de 1983.

É público que NASA e Vaticano tem parcerias na troca de informações, e que o Vaticano financia cientistas na busca de um grande cometa, um corpo celeste que é citado no Apocalipse, nos registros de antigas civilizações, e na milenar Bíblia Kolbrin.
Em 1997, de forma misteriosa, um grupo de astrônomos franceses, que pesquisavam informações sobre o Planeta X, pereceram em acidente nos Alpes.

Os sumérios e os Anunnakis

Também entra aí que o  escritor arqueólogo e linguista Zecharia Sitchin, que após várias décadas de estudos, lançou o livro 'O 12º Planeta'. O arqueólogo é um dos poucos especialistas na escrita dos Sumérios, povo que habitou a Mesopotâmia (atual Iraque) há cerca de 6.000 anos.

Em sua obra, Sitchin sugere que os sumérios representavam um povo teve contato direto com seres alienígenas, vindos de um planeta que, em períodos de 3.600 anos, aproxima-se da Terra. Seu nome, na escrita suméria é Nibiru, que significa 'aquele que faz a travessia'.


O Sol e os planetas que conhecemos ao eu redor


 Mas, que planeta é aquele no canto superior esquerdo?

A história de Nibiru, bem como dos Anunnakis, a civilização alienígena que o habita, está descrita no poema Enuma Elish em tábuas de argila que foram minuciosamente decifrada por Sitchin.
Os registros falam dos Anunnakis como sendo uma raça que chegou ao planeta Terra há 450 mil anos e instalou sua base no oriente Médio.

Com a urgência de exploração de ouro, os alienígenas optaram pela criação de um ser híbrido (mistura raças humanóides da Terra com aliens), fazendo surgir o homo-sapiens. E admirando sua  criação, e vendo que as filhas dos homo sapiens era belas, muitos desses 'seres que vieram do céu' as tomaram para acasalamento.

A imagem e semelhança de quem?

"Quando os homens começaram a se multiplicar na terra e lhes nasceram filhas, os seres divinos viram quão belas eram as filhas dos homens e tomaram esposas dentre aquelas que os agradavam. Foi então, e também depois, que os Nephilins apareceram sobre a terra - quando os seres divinos coabitaram com as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Eles foram os heróis de antigamente, os homens de renome." (Gêneses 6.2-4)

O mundo que trouxe os Anunnakis pertence á mitologia suméria e é citado no poema Enuma Elish que, entre outras revelações, fala da presença de um grande planeta, isso há cerca de 5 bilhões de anos, um mundo quase do tamanho de Júpiter que, atraído pela gravidade do nosso Sol, invadiu a órbita de outros planetas do sistema. Nibiru chocou-se com outro grande planeta: Tiamat (antiga Terra), que ficava na órbita entre marte e Júpiter.
Com o choque, Tiamat se dividiu em dois: uma parte diluiu-se nos escombros do atual cinturão de asteróides que orbitam a região; a outra, ficou sendo a Terra, mas deslocada para mais próxima do Sol, entre Vênus e Marte.

O arqueólogo alega que os Anunnakis estão de volta. Explica que Nibiru faz parte do mesmo sistema onde está a Terra, e que seu aparecimento de tempos em tempos se deve a uma órbita irregular, perpendicular com elíptica alongada, o que faz com que o misterioso astro fique afastado dos demais planetas, desaparecendo pra alem do Cinturão de Oors e só retornando após 3.600 anos.

O segundo sol

Mas, e se a invés de ser um planeta, Nibiru venha a ser parte de um complexo de astros que giram em torno do nosso sol? Assim sendo, o astro-rei que conhecemos teria um irmão gêmeo, uma estrela que realiza sua órbita excêntrica em torno do nosso Sol e reaparece de tempos em tempos. Essa estrela, ou seja lá o que for,  que não conhecemos está presente misteriosamente nos registros de antigas civilizações como sumérias, egípcias, gregas, romanas e nos conhecimentos de povos judaicos.

Sistemas binários são comuns em toda galáxia. Estima-se que um terço das estrelas na Via Láctea formam sistemas binários ou são parte de um sistema de estrelas múltiplas. Há alguns anos, a ciência mundial propôs a possibilidade de ser o nosso sistema solar um sistema binário, isto é, com dois sóis, um orbitando o outro.

Para os sumérios, esse astro tinha a coloração vermelha, e sua visão era aterradora. Surgia no céu como se estivesse 'embrulhado' em espessas nuvens. Sua aproximação seria a responsável por distúrbios de ordem sideral, com o fim de muitas civilizações planetárias, incluindo a vida em Marte e Terra.
Essa seria a explicação para periódicas extinções em massa da vida do planeta Terra?
Presente nos temores humanos, o chamado Fim dos Tempos é contado de geração em geração.

NR - Pra não entrar no mérito do que é ou o que poderia ser, vamos ficar apenas nas descrições históricas. O mundo da astronomia, seja ele atrelado aos governos, ou livres amadores, poderão nos dar respostas no futuro próximo.
Quanto mais rápido, melhor, preferencialmente, antes de dezembro de 2112, que é a data anunciada para um fim do último capítulo da história da raça humana!

Creditos: Por Ocimar Barbosa Agora Vale

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Chuva de Meteoros

Chuva de Meteoros Vista em alguns lugares







Em Dezembro a Terra cruza a órbita do Asteróide Faetonte e são os "detritos" largados por este asteróide os responsáveis pelo enxame de estrelas que decorre anualmente entre 7 e 17 de Dezembro, o enxame das Gemínidas. (Na imagem um meteoro sobre Monument Valley, EUA).
O melhor enxame de meteoros de 2009 está prestes a acontecer, segundo a Organização de Meteoros Internacional, a actividade máxima, cerca de 140 meteoros por hora, decorre no próximo dia 14 de Dezembro de 2009 por volta das 5h10m, durante a madrugada de segunda-feira, em Portugal. Assim, a observação do pico das Gemínidas promete cativar até ao nascer do Sol. (Retirado do OAL, 12 de Dezembro de 2009)

A chuva anual de meteoros Geminids iluminou os céus na noite de quinta-feira passada e madrugada da sexta, quando pôde ser vista no céu em horas e pontos diferentes nos hemisférios Norte e Sul.
Muitos espectadores fotografaram o fenômeno e enviaram suas imagens à BBC.
A chuva de meteoros ocorre cada vez que a Terra passa pela rota da órbita solar de um asteroide chamado 3200 Phaethon.
O asteroide deixa para trás uma trilha de resíduos rochosos, que se movem a 35 km por segundo através da atmosfera. Eles se desintegram em chamas descritas como espetaculares por quem as presencia.

Fontes: BBC e quarksegluoes.blogspot.com.br
Imagem: R7 e Wally Pacholka /Astroplcs.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...